Chagdud Tulku Rinpoche

Sua Eminência Chagdud Tulku Rinpoche

Sua Eminência Chagdud Tulku Rinpoche nasceu no leste do Tibete (Kham), em 1930. Reconhecido aos quatro anos como um tulku (encarnação de um mestre de meditação), recebeu treinamento rigoroso e aprofundou os seus estudos em retiros extensos. Ele tinha uma afinidade especial pelas artes sagradas e pela medicina tibetana, e era famoso por sua voz maravilhosa, como cantor.

Em 1959, ele escapou da ocupação comunista do Tibete e viveu exilado em comunidades de refugiados na Índia e no Nepal até se estabelecer nos Estados Unidos, em 1979. A pedido dos seus alunos ocidentais, criou a Fundação Chagdud Gonpa, uma rede de centros da linhagem Nyingma do Budismo Vajraiana. Em 1994, mudou-se para o Brasil e começou a construção do seu centro principal, o Khadro Ling, no Rio Grande do Sul. Quando morreu, em 2002, ele havia fundado mais de vinte centros no Brasil, Uruguai e Chile.

Ao viajar e ensinar constantemente, irradiando entusiasmo e compaixão, tornou-se o lama do coração de centenas de alunos e foi uma inspiração profunda para milhares de outros. Quando lhe perguntavam por que, aos sessenta e quatro anos, mudou-se para a América do Sul ao invés de permanecer confortavelmente nos Estados Unidos, respondia: “percebi a fé dos brasileiros e o seu interesse no Budismo e quis ensiná-los”.

Sua esposa, Chagdud Khadro, é a Diretora Espiritual dos seus centros na América do Sul. Seu filho, Tromge Jigme Rinpoche, treina alunos na meditação mais elevada de Dzogchen e é o mestre vajra de muitas grandes cerimônias e iniciações nos centros do Chagdud Gonpa nas Américas do Norte e do Sul. Chagdud Rinpoche também teve uma filha, Dawa Lhamo, que reside no Colorado.

Agora, em um ciclo completo, o tulku de Chagdud Rinpoche foi reconhecido por Khenpo Ngagchung no Tibete. Conhecido como Chagdud Yangsi, ele é o foco das preces e aspirações profundas dos membros da sanga ao redor do mundo.

 

“Se eu tivesse que deixar somente um legado, seria o da sabedoria da motivação pura. Se eu tivesse que ser conhecido por um único título, seria o de lama da motivação… No momento em que os nossos corações se inclinam à compaixão por todos os seres, a nossa motivação se expande em direção à motivação todo-abrangente de um bodisatva.”

X
X
X